O Charme das Barbearias Vintages

As Barbearias Retrôs

Fazer a barba em casa não é a mesma coisa que fazer na barbearia, com o seu barbeiro parceiro de tempos que entende tudo sobre barba, principalmente da sua. Além de mais preciso, é mais confortável e ainda conta com a inevitável troca de conversa fora com os conhecidos que estão ali fazendo a mesma coisa que você. A história das barbearias e sua fama vem desde a Grécia Antiga, quando deuses da mitologia grega se preocuparam com sua aparência estética e isso trouxe a necessidade de se criar um espaço para que alguém que soubesse realizar trabalhos estéticos e de beleza. pudesse atuar. Não só os Deuses Gregos eram vaidosos, mas sim, sábios e filósofos consideravam o uso de barba grande e bem cuidada como símbolo de sabedoria e experiência.

Em meados dos Séculos XVII e XVIII os primeiros profissionais chamados barbeiros surgiram esbanjando, não somente a perícia nos cuidados com a barba, como outras funções e habilidades (realizavam sangria, extraiam dentes e até mesmo realizavam pequenas cirurgias). Com a procura muito grande por estes serviços que eram feitos a domicílio, os barbeiros decidiram criar seu próprio espaço para que os usuários fossem até eles economizando o tempo pequeno que tinham. Com isso, começaram a surgir pequenas salas equipadas com apetrechos próprios para realizar desde cortes de barba e cabelo, até utensílios para realização de cirurgias menores.

Com o passar dos tempos essas salas foram sendo decoradas e arrumadas conforme o gosto do proprietário. Já na década de 40 as Barbearias já eram vistas como um ponto comercial mais forte e a decoração trazia peculiaridades como posters de Rock, quadros com motivos masculinos e objetos decorativos que tinham relação com o ofício. Até mesmo as poltronas que os clientes sentavam eram especiais. Nesse ambiente falava-se sobre tudo, principalmente sobre política, futebol e conversa fiada que homem gosta. O piso quase sempre era aquele preto e branco parecendo um tabuleiro de Jogo de Damas, ou pisos de madeira. As poltronas eram de couro (vermelho, marrom, preto), reclináveis, com detalhes em dourado ou prateado. Um local onde se viam lâminas, toalhas quentes, vidros de loção cheirosa pós-barba, uma música saindo com som abafado dos rádios e senhores vestidos com calça social, colete e suspensórios. Era um ambiente muito masculino.

Hoje, quando falamos em Barbearias, vem logo a nossa mente aquela ideia antiga dessas barbearias que fizeram história e que acabamos de descrever. O que não muda muita coisa no contexto se pensarmos nas roupas dos profissionais, na poltrona antiga e pesada, nas toalhas, nas fumaças dos cigarros que circulavam na pequena sala. O que muda hoje são os serviços que as barbearias oferecem. Ainda com a proposta do antigo “barba, cabelo e bigode”, podemos encontrar um espaço mais amplo, com música em som digital, com quadros coloridos de filmes, motos, quadro de carros espalhados pelas paredes, uma mesa de sinuca ao fundo para rolar um joguinho e bater um papo enquanto espera sua vez. Um vasta carta de cervejas artesanais para você experimentar enquanto apara a barba e dá aquele retoque no bigode. Isso tudo relacionado com a rotina de cuidados pessoais que o homem de hoje adquiriu e colocou no seu dia a dia. A vaidade masculina fez crescer o comércio de produtos de beleza voltados para a pele e fios masculinos. Algumas trazem o conceito de que são lugares para os amigos  se encontrarem. Virou um ponto de encontro mesmo. Esse segmento trouxe a ideia de recriar a proposta de Barbearias, trazendo serviços premium e especializados, com aquele design antigo da velha guarda das Barbearias. Quase tudo parece o ano de 1940 quando você pisa nesse estilo de Barber Vintage Retrô, com os famosos azulejos hidráulicos,  piso de madeira e rapazes barbudos, tatuados, vestindo gravata borboleta e suspensórios. A ideia é que você se sinta realmente na década de 40 e/ou 50 e tenha uma experiência confortante quando estiver dando aquele trato na barba ou no cabelo.

Compartilhe este conteúdo: